5 sinais de pele que merecem atenção

5 sinais de pele que merecem atenção

Maior órgão do corpo humano, a pele está sujeita a alterações de todos os tipos causadas tanto por fatores externos, como os raios solares, quanto internos, como uma alteração metabólica. “O organismo manda sinais pela pele. Muitas vezes, ela é o primeiro órgão a manifestar doenças próprias ou de outras partes do corpo”, afirma o dermatologista Murilo Drummond, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Pintas
Pintas de nascença dificilmente causam algum problema de saúde, mas as que surgem já na vida adulta podem inspirar cuidados em situações bem específicas. “Elas são provenientes da exposição ao sol. Em sua maioria, não dão em nada, mas se começam a sofrer alterações, é bom ficar atento. Um jeito fácil de saber se a pinta tem tendências malignas é seguir a regra ABC – Assimetria, Bordas irregulares e Cores alteradas ou múltiplas. Ao perceber qualquer um destes sinais, e também se ela coçar ou sangrar, um dermatologista precisará examiná-la para checar se não é um sinal de câncer de pele”, ensina.

Murilo recomenda, adicionalmente, a realização regular de dermatoscopia, um exame que mapeia todas as pintas do corpo. “Com ele, é possível decidir quais pintas precisam ser retiradas para biópsia e quais podem continuar no corpo para apenas serem acompanhadas. A dermatoscopia pode se antecipar aos sintomas de um câncer de pele”, garante. O exame também ajuda a definir qual é o tipo ideal de filtro solar para o paciente.

Manchas
Manchas cor de café com leite podem ser os primeiros sintomas de doenças genéticas, como a neurofibromatose, de acordo com Murilo. “Não significa que sempre sejam, mas se houver predisposição, é bom ficar atento”, diz.
Já as manchinhas brancas, que parecem pintas ao contrário, são sinais de leucodermia solar, as “sardas brancas”. O dermatologista esclarece que elas são causadas pela exposição ao sol sem proteção e pela alimentação inadequada. Injeções de pigmentação podem ser aplicadas para recuperar a uniformidade da pele, mas é um procedimento meramente estético.

Se crescerem irregularmente, coçarem, sangrarem ou formarem casca, as manchas podem, assim como as pintas, ser sintomas de câncer de pele: “Elas merecem ainda mais atenção se estiverem em áreas do corpo expostas ao sol, como rosto, mãos, braços, colo e pernas”.

Verrugas
“A primeira coisa a se perguntar: é uma verruga mesmo? As pessoas tendem a generalizar e achar que toda alteração na pele é uma verruga, e nem sempre é”, conta a dermatologista. “A verruga verdadeira é causada por uma das centenas de variações do vírus HPV”, explica.c

Ela aponta duas preocupações em relação às verrugas. A primeira é o fato de elas serem transmissíveis: “Se a pessoa mexe na verruga e encosta em outra parte do próprio corpo, pode espalhar as lesões; se tocar em outra pessoa, pode transmitir o vírus. Para evitar o contágio, é preciso removê-las o quanto antes”.

Entre os métodos para remoção, destaca o uso de nitrogênio líquido para congelar a verruga, a cauterização com bisturi e o uso de laser. “Em casos de verrugas vulgares ou plantares, pode ser feita a remoção caseira com medicamentos específicos, mas só depois que um dermatologista houver feito o diagnóstico”.

A segunda preocupação é referente às verrugas genitais, que podem causar um câncer de colo de útero. “Elas precisam de outro tipo de atenção, com o auxílio de um ginecologista, para evitar o dano maior”.

Erupções
Segundo Murilo, toda a dermatologia é relacionada a erupções de pele, porque elas são lesões elementares. “Uma erupção pode ser desde sarna até catapora. É importante analisar o que a acompanha – nódulos, vesículas, bolhas. Por isso, o dermatologista deve ser procurado imediatamente quando as erupções surgem”.

Ainda assim, as erupções mais comuns na pele de adultos são relacionadas à herpes. “São usados medicamentos para curar ou amenizar os seus sintomas. Se for uma herpes bacteriana, a simples aplicação de uma pomada já deixa tudo bem de novo. Mas se for herpes viral, os remédios vão apenas amenizar os sintomas e, talvez, diminuir em alguns dias o período de manifestação da doença, que costuma ser de 7 a 10 dias”.

Ressecamento
Apesar de ser o sinal mais simples, que normalmente significa apenas falta de hidratação – o que é resolvido com o uso de um bom creme adequado ao tipo de pele -, o ressecamento da pele pode ser sintoma de diabetes, de doenças vasculares em geral e também de problemas na tireoide.

“Se um hidratante não resolver a questão, será preciso partir para uma análise multidisciplinar para detectar o que está acontecendo”.

Todo cuidado, portanto, é válido. Esteja sempre atento aos sinais que sua pele emite. Lembre-se: uma doença diagnosticada em estágio inicial tem muito mais chances de ser vencida.

Marque uma Consulta – Saiba Mais

 

Deixe uma resposta